Make your own free website on Tripod.com

 

SHERNO ou memórias da guerra na Guiné

 

O  CAPITÃO CAPUCHO FICAVA NA RETAGUARDA

 

        

 

stávamos praticamente no início do Verão. As chuvas já se tinham ido embora e nós contávamos já com vinte meses de sofrimento e pesar. Só faltavam mais três para atingirmos o fim da picada.

         O capitão Duro Capucho exigia cada vez mais dos seus homens, não nos dando tréguas com as saídas para o mato. Nós sentíamo‑nos cada vez mais exaustos e revoltados.

         Numa manhã, logo ao alvorecer, saímos os do 3.º e 4.º pelotões incluindo o capitão, com o propósito de irmos atacar uma acampamento inimigo, que se distanciava talvez a 10 km.

         Íamos praticamente todos armados até aos dentes bem fornecidos de granadas e munições.

         Eu levei três granadas de sopro nos bolsos e uma fita com 200 balas às costas para municiar a metralhadora ligeira HK‑21, enquanto que outros levavam granadas de morteiro e bazuca.

         Eu seguia nos primeiros da frente, juntamente com o capitão. Caminhávamos calma e silenciosamente. Quando estávamos já muito próximo do tal acampamento o capitão mandou-nos avançar a correr (o que faz muito barulho numa mata, denunciando a nossa presença). Porém ao mesmo tempo que deu a ordem saiu da fila, começando a ficar para trás: eu vendo a sua intenção imitei‑o. A sua reacção não se fez esperar, empurrando-me para a frente. Só que nesse curto espaço de tempo, já a maioria tinham entrado e rodeado todo o acampamento, que já se encontrava completamente deserto.

         Felizmente que, tendo ouvido o nosso barulho, o inimigo optara por fugir, em vez de nos receber a tiros de canhão e de morteiro, o que teria sido uma calamidade, pois que o terreno não oferecia qualquer protecção.   

         Era sempre um risco, para os primeiros que entravam de peito aberto e começavam a rodear as tabancas, porque havia o perigo do inimigo estar emboscado à nossa espera. Neste caso este risco era iminente, mas o capitão era perito no assunto. E eu acabei por ser tão perito como ele.

         Visto estar tudo deserto, e não haver: Nem cabras, nem porcos, nem galinhas; ateámos fogo ao acampamento, e destruímos tudo com granadas de sopro.

         O inimigo mantinha‑se sempre atento aos nossos movimentos. colocando sentinelas à distância pelo meio da mata e do capim, que ao menor indício de perigo, corriam a dar o alarme. Uma aproximação teria que ser, portanto bem camuflada, no momento mais inesperado, com o maior silêncio e as maiores cautelas sobre os locais onde se punham os pés, pois que eles rodeavam os seus acampamentos de minas anti-pessoais.